Como sair do aluguel e adquirir o imóvel próprio? Confira as 5 dicas essenciais

como sair do aluguel
6 minutos para ler

Embora seja a realidade de muitas pessoas, viver de aluguel não é exatamente o sonho de consumo de ninguém, não é mesmo? Sabemos que, infelizmente, a falta de recursos financeiros é um dos maiores impeditivos para a conquista da casa própria.

No entanto, com a melhora na economia do nosso país, o cenário atual é ideal e otimista para aqueles que querem comprar o seu primeiro imóvel. Neste artigo, veja algumas dicas de ouro de como sair do aluguel e conquistar o tão sonhado lar doce lar!

Ficou curioso? Então prossiga com a leitura!

1. Organize suas finanças

O primeiro — e talvez principal passo — para adquirir um imóvel é fazer um bom planejamento das suas finanças, organizando os débitos e receitas e discriminando todo o valor que entra e que sai.

Fazendo isso, é possível saber com precisão a porcentagem da sua renda que poderá poupar e em quanto tempo conseguirá o valor total para dar de entrada em um imóvel, por exemplo.

A dica é fazer uma planilha em algum aplicativo e anotar tudo, simplesmente TUDO o que for relacionado a finanças. Por exemplo, coloque as contas fixas, como água, telefone, energia etc., e todos os tipos de gastos, até mesmo o pãozinho do café da manhã.

Dessa forma, você conseguirá identificar gastos supérfluos e adequar os hábitos de consumo de modo que os rendimentos superem os gastos e seja possível poupar uma parte.

Além disso, se você tiver dívidas em aberto, o primeiro passo é se planejar para quitá-las, antes mesmo de começar a se programar para comprar sua casa própria. Afinal, você não vai querer dar o passo maior que a perna e se enrolar ainda mais, não é mesmo?

2. Estabeleça metas

Depois das finanças devidamente organizadas, é hora de definir objetivos e estabelecer metas que aproximem você do seu sonho da casa própria. Por exemplo, você pode se comprometer a quitar todas as suas dívidas até a primeira metade do ano e, a partir de agosto, começar a guardar mensalmente o valor que foi estipulado para a compra do imóvel.

É importante, contudo, definir somente metas possíveis de serem alcançadas, já que a dificuldade em alcançar os objetivos pode ter um efeito contrário e desmotivar qualquer pessoa, por mais focada que esteja no começo.

3. Procure por formas de obter renda extra

O escritor americano Frank Lloyd Wright uma vez disse que “o preço do sucesso é dedicação, trabalho duro, e uma incessante devoção às coisas que você quer ver acontecer” e ele não poderia estar mais correto.

Sabemos que não é fácil trabalhar todos os dias, em uma jornada de 8h, e ainda encontrar forças para realizar alguma outra tarefa à parte que renda algum dinheiro.

No entanto, atualmente, existem diversas maneiras de conseguir uma graninha a mais sem que isso demande deslocamento nem longas horas de trabalho, principalmente por meio da internet.

Se você é bom em inglês ou português, por exemplo, uma dica é oferecer aulas de reforço para estudantes por Skype. Há também a possibilidade de vender coisas novas e usadas por meio de diversos sites e aplicativos, além de participar de pesquisas online ou se cadastrar em sites que oferecem serviços freelancer dos mais variados tipos e segmentos.

4. Considere a possibilidade de investir o seu dinheiro

Essa dica, obviamente, é para ser aplicada somente caso você não tenha nenhuma dívida pendente ou já tenha conseguido quitar todas elas.

Contudo, inversamente ao que a maioria das pessoas pensa, não é preciso ter grandes quantias de dinheiro para investir. Hoje em dia, estão disponíveis diversas opções de investimento, tanto para quem tem grandes montantes, quanto para quem dispõe de uma quantia menor.

O Tesouro Direto, por exemplo, é uma ótima opção para quem não pode correr risco de perder dinheiro e para quem não tem um grande valor acumulado. o CDB também é bastante utilizado por quem tem esse perfil, que consiste basicamente em um empréstimo que o investidor faz ao banco que, por sua vez, devolve o valor aplicado com uma remuneração.

É possível encontrar CDB em instituições financeiras menores que estipulam um valor mínimo de apenas 100,00 para investimento. Já as maiores costumam definir o mínimo a partir de 500 reais.

Com a ajuda a internet, é possível encontrar diversas calculadoras de investimento que simulam as chances de lucro em algum investimento, bem como a possibilidade de perda de dinheiro. Se você é iniciante nesse assunto, pode ser uma ótima alternativa.

5. Pesquise as possibilidades de maneira racional e de acordo com as suas necessidades

Depois de passada todas as etapas, você finalmente tem o montante necessário para, pelo menos, dar a entrada em um imóvel. Nesse momento de empolgação, muita gente acaba utilizando mais a emoção em vez da razão, optando por casas ou apartamentos que estão além do seu orçamento e que não atendem às necessidades dos futuros moradores.

São diversos aspectos que devem ser considerados na hora de escolher um imóvel, como:

  • valor compatível com a renda;
  • localização próxima aos locais de deslocamento diário (trabalho, faculdade etc.);
  • segurança (tanto do imóvel quanto da vizinhança);
  • boas condições da construção (verificar o padrão de acabamento: qualidade dos materiais e da mão de obra, etc.);
  • regras do condomínio (alguns condomínios restringem algumas raças de pets maiores, por exemplo. Imagine se você só descobre isso no dia da mudança e está vindo com dois labradores que são seus filhos de 4 patas?);
  • área privativa que atenda às necessidades (se você pretende expandir a família, é preciso escolher um imóvel que tenha a quantidade de quartos que atenda);
  • prazo de entrega e idoneidade da construtora, se estiver comprando um imóvel na planta.

Viu só como sair do aluguel não é nenhum sonho inalcançável? Com esforço e dedicação, é inteiramente possível conquistar um cantinho nesse mundo só seu e da sua família. Uma dica extra é procurar por uma imobiliária confiável, pois certamente ela oferecerá diversas possibilidades e ajudará você nessa empreitada!

E então, gostou do artigo? Não deixe de compartilhar este conteúdo nas suas redes sociais para inspirar seus amigos e seguidores a também irem em busca da tão sonhada casa própria e a se livrarem do aluguel!

Você também pode gostar

8 thoughts on “Como sair do aluguel e adquirir o imóvel próprio? Confira as 5 dicas essenciais

Deixe um comentário