Bioarquitetura: conheça esse e outros caminhos sustentáveis da arquitetura

6 minutos para ler

Já ouviu o termo bioarquitetura? Se não, esse é um conceito que ainda está conquistando o seu espaço no mercado. Contudo, no setor arquitetônico, ele já é considerado como uma das mais tendências em ascensão para o mercado imobiliário.

Diante de mudanças no comportamento de consumo e o aumento da conscientização sobre questões relacionadas à sustentabilidade e ao meio ambiente, as construções bioclimáticas e ecológicas vêm ganhando força.

Quer entender mais sobre essa importante categoria da arquitetura e quais suas principais vantagens? Então, continue lendo para conferir o que você precisa saber sobre o que é bioarquitetura!

O que é bioarquitetura?

Como fica claro no próprio termo, bioarquitetura é uma versão “verde” da arquitetura, isto é, utiliza técnicas e princípios sustentáveis como aproveitamento de ventilação e iluminação natural, e uso de material orgânico como terra, folhas e madeira para a realização de projetos arquitetônicos.

Outra característica marcante na bioarquitetura é que ela adere aos procedimentos tradicionais de construção, como os métodos usados pelos povos originários nas civilizações antigas. 

Embora os formatos de construção de povos como os quilombolas e ribeirinhos tenham sido menosprezados no passado, hoje são vistos por uma ótica diferente. De fato, essas construções apresentam soluções inteligentes para diversas necessidades. O aproveitamento de luz e ventilação natural é uma excelente maneira de contornar o problema da falta de energia.

Visto que o planeta está cada vez mais carente de recursos naturais, é imprescindível que a sociedade atual abrace causas sustentáveis como a bioarquitetura.

Como é o cenário de bioarquitetura no Brasil?

Não é novidade que o Brasil é referência mundial em bioarquitetura. Afinal, os povos nativos, que já habitavam essas terras muito tempo antes da colonização europeia, tinham seus próprios processos de construção que, hoje, são replicados no mercado imobiliário moderno.

O Brasil tem um vasto laboratório de técnicas construtivas funcionais em seu território e está entre os países com a maior quantidade de edificações sustentáveis do mundo. Tanto que tem o selo Leed, cuja avaliação leva em conta uma série de aspectos como:

  • inovação e processos;
  • energia e atmosfera;
  • material e recursos;
  • espaço sustentável;
  • créditos e prioridade regional;
  • qualidade ambiental interna;
  • localização e transporte;
  • eficiência do uso da água.

Quais as vantagens da bioarquitetura?

Agora que você já sabe quais são as principais características da bioarquitetura, iremos apresentar os principais benefícios que ela oferece. Veja a seguir!

Integração da arquitetura ao ambiente

Integrar um projeto arquitetônico ao meio ambiente é basicamente um dos fundamentos da bioarquitetura, em especial em regiões com baixa densidade urbana. A bioarquitetura é muito indicada para locais com essa característica.

Economia

Uma das grandes vantagens da bioarquitetura, mas que não costuma ser muito citada pelos especialistas, é a economia que ela gera devido às suas características de consumo inteligente. Isso se deve ao fato de que ela visa reduzir o uso de material oneroso e não recicláveis, substituindo-os por matérias orgânicas e de grande disponibilidade.

Projetos personalizados

Por ser pautada, entre outros fatores, na inovação, a bioarquitetura tem a vantagem de proporcionar projetos que fogem do convencional. Não é por coincidência que muitas construtoras e arquitetos têm investido nesse conceito como um diferencial. De fato, ela é uma alternativa interessante para organizações do mercado imobiliário que desejam se diferenciar de seus concorrentes de maneira ética e sustentável.

Aproveitamento da iluminação e ventilação natural

Se há um desafio para a sustentabilidade é o excessivo consumo de eletricidade, visto que os meios de produção de energia elétrica, majoritariamente, provêm de fontes não renováveis e prejudiciais ao meio ambiente como petróleo e carvão mineral.

Até mesmo as hidrelétricas, anunciadas como sustentáveis, causam uma grande variedade de danos irreparáveis à natureza, como impactos na fauna e flora, alagamentos, deslizamentos de terra, entre outros.

O que é biofilia?

Foi Edwar O. Wilson que cunhou o termo biofilia no livro homônimo, em 1984. O renomado biólogo e entomólogo determinou que biofilia é “amor às coisas vivas”, ou atração a tudo o que é vital. No contexto arquitetônico, a biofilia está voltada aos indivíduos que sentem ausência da ligação emocional genética entre os seres vivos e a natureza — algo que se perdeu na contemporaneidade.

Atualmente, grande parte das pessoas vive nas metrópoles, dentro de espaços limitados, alta densidade populacional e pouca área verde. Em contrapartida, os planejadores urbanos têm incentivado os governos a criarem mais áreas arborizadas, praças e outros tipos de cinturões em verdes, com a finalidade de otimizar as condições das cidades e mudanças climáticas do planeta.

O que é biourbanismo?

O biourbanismo é um conceito que tem como premissa a reinserção da natureza na infraestrutura das cidades, tornando-as mais resistentes às mudanças climáticas, por meio de estratégias como:

  • hortas comunitárias;
  • renaturalização de rios;
  • áreas verdes para resgatar a arqueologia da paisagem;
  • jardins de chuva contra enchentes;
  • entre outras.

Ou seja, o biourbanismo é uma forma de planejamento arquitetônico urbano baseado em sustentabilidade e que, ao mesmo tempo, supre a biofilia dos cidadãos.

Por que é importante optar por projetos arquitetônicos sustentáveis?

Antes de finalizarmos, é importante destacar que bioarquitetura não é um sinônimo de sustentabilidade. Engenheiros, arquitetos e demais profissionais ligados ao setor de construção civil acabam se equivocando ao pensar que basta inserir princípios de bioarquitetura em seus projetos arquitetônicos para chegar à sustentabilidade na arquitetura.

Optar por projetos sustentáveis é importante devido ao fato de que a redução do uso de materiais e procedimentos que agridem o meio ambiente pode gerar impactos positivos ambientais, sociais e econômicos, contribuindo para a longevidade da vida em nosso planeta.

Como você pôde ver, a bioarquitetura é uma das vertentes da arquitetura sustentável que tem se tornado cada vez mais popular, visto que a sociedade moderna está começando a despertar para a importância de cuidar do meio ambiente da forma como sempre deveríamos ter feito.

Você tem algum conhecimento ou opinião que gostaria de compartilhar com a gente a respeito de bioarquitetura? Então, deixe o seu comentário!

Você também pode gostar

Deixe um comentário