5 raças de cachorro que são ideais para apartamento

raças de cachorro para apartamento
6 minutos para ler

Não é à toa o ditado que diz que o cão é o melhor amigo do homem. Companheiro fiel, esse animalzinho está sempre ao lado do seu dono — independentemente da sua posição financeira, religião e por aí vai. Tudo o que ele precisa é apenas de água, comida, alguns cuidados e, claro, muito amor e respeito. Caso você esteja pensando em ter um peludo, que tal conferir as melhores raças de cachorro para apartamento?

Isso mesmo! Apesar de serem facilmente adaptáveis, existem alguns cães que se sentem melhor em espaços pequenos, sem apresentar uma grande necessidade de ter um quintal amplo ou uma área livre para correr todos os dias. Ao atentar a esse detalhe, será possível garantir não somente mais praticidade para a sua rotina, como também total bem-estar e qualidade de vida para o seu novo pet.

Foi pensando nisso que criamos o post de hoje. Para saber quais são as melhores raças de cachorro para apartamento, continue acompanhando a leitura e conheça, agora mesmo, as suas personalidades, características e necessidades.

1. Shih Tzu

É provável que você já tenha visto um Shih Tzu por aí. Muito charmosa e amigável, essa raça é originária do Tibete, onde, antigamente, era treinada para proteger os mosteiros dos budistas.

O tempo passou e, gradativamente, esse bichinho ficou conhecido em outros locais do mundo — seja pela sua simpatia ou facilidade em dar carinho para pessoas de qualquer idade.

O único cuidado que o tutor deverá ter ao adotar essa raça diz respeito à socialização. A dica é acostumar o pequeno, desde filhote, a interagir com outros animais e crianças. Com essa prática, ele terá mais facilidade para se tornar um cão adulto tranquilo, prevenindo uma série de problemas de agressividade.

2. Pug

O Pug é outra raça muito indicada para viver em espaços pequenos. O motivo? Esse animalzinho apresenta um histórico comportamental tranquilo e que late pouco. Originário da China, ele também era figurinha carimbada nos mosteiros budistas — fato esse que foi moldando a sua personalidade até os dias de atuais.

O corpinho do Pug é pequeno, um pouco roliço e repleto de rugas, tornando-o muito encantador. Já o seu temperamento é de um animal carismático, cheio de afeto e que adora brincar. Porém, ao contrário de outras raças, o Pug não é tão ativo assim e, muitas vezes, prefere ficar “na dele”, só descansando e observando a rotina da família.

Atenção: não podemos deixar de citar a saúde dessa raça. O ponto negativo é que, muitas vezes, eles apresentam problemas respiratórios, assim como de pele. Caso decida adotar um Pug, tenha consciência disso e, sempre que possível, realize consultas com um veterinário de sua confiança.

3. Lhasa Apso

Temos aqui mais um cão que veio do Tibete — o Lhasa Apso, originário da cidade de Lhasa. Muito famoso por ostentar uma pelagem volumosa, longa e macia, essa raça é considerada tranquila, ideal para viver dentro de casa, sem o costume de latir muito.

Em contrapartida, o seu temperamento é bastante determinado e, por vezes, até independente — se assemelhando ao dos felinos. Eles também têm mais facilidade para ficar sozinhos em casa, desde que não por muito tempo, e tendem se dar bem com crianças e idosos.

O cuidado recomendado ao ter essa raça é enchê-lo de carinho. Para ser feliz e ter uma vida saudável, eles precisam se sentir amados e, sempre que possível, necessitam de um pouco de socialização. Tal hábito é imprescindível para evitar que o seu instinto de guardião venha à tona, fazendo-o latir excessivamente para proteger os tutores.

4. Bulldog Francês

Em um primeiro momento, você pode até imaginar que o Bulldog Francês não é uma raça amigável. Mas não se engane: essa é uma das melhores raças de cachorro para apartamento, uma vez que são dóceis, sociáveis e muito apegados aos seus familiares.

Com o focinho achatado, assim como o do Pug, e apresentando algumas dobras na pele, tais animais são conhecidos por gostarem de roer e destruir a casa. A recomendação, então, é que eles não fiquem muito tempo sozinhos. Caso os moradores precisem sair de casa, é preciso mantê-los distraídos, oferecendo brinquedos ou petiscos para que eles não se sintam abandonados.

Em se tratando dos cuidados necessários, é interessante ter uma atenção especial com os seus problemas respiratórios e cardíacos. Frequentes, essas condições podem ocorrer facilmente, por conta da própria anatomia do Bulldog Francês.

5. Chihuahua

O Chihuahua é um cãozinho pequeno, ativo, serelepe e muito corajoso. Considerados os menores peludos do mundo, esses pequenos podem chegar até os 20 anos de idade, desde que sejam bem cuidados.

Por ser muito apegado ao dono, o Chihuahua costuma ser bem ciumento. Caso você não queira que ele se torne um cão possessivo e com problemas de sociabilidade, a principal recomendação é evitar tratá-lo “como gente” para que ele não perca o seu instinto de liderança.

Assim como outras raças, esse peludinho tem alguns pontos contras. Um deles diz respeito às predisposições genéticas a doenças como epilepsia, hidrocefalia e hérnia de disco. Eles ainda costumam ser muito sensíveis ao clima frio, exigindo total atenção dos seus tutores, assim como exames veterinários periódicos para que a sua saúde se mantenha saudável.

Dica extra

Não poderíamos deixar os cães SRD de fora desse conteúdo. Também conhecidos como “vira-latas”, eles conseguem, tranquilamente, viver em um apartamento. Em abrigos sérios, você conseguirá encontrar cães incríveis, que já sofreram bastante e esperam ansiosamente por uma nova chance de recomeçar.

Por último, não se esqueça: antes de ter um pet, é fundamental buscar pelos cuidados específicos de cada raça. Assim, você conseguirá evitar dor de cabeça, além de diversos problemas de saúde para o seu amigão. Combinado?

E se você gostou desse post exclusivo sobre as raças de cachorro para apartamento, aproveite o momento para compartilhá-lo no Facebook, Twitter e demais redes sociais. Temos certeza de que os seus colegas também adorarão conferir a leitura!

Você também pode gostar

Deixe um comentário